segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Caixa de Pandora - Aline C. Costa


Sempre procurei por algo...
Desde menina escrevia em meus cadernos que faltava alguma coisa;
e que essa coisa era algo além de mim.
Sempre fui curiosa...
E essa curiosidade me levou a mundos do além;
a adentrar no desconhecido...
Sempre fui questionadora...
Nunca aceitei uma verdade absoluta,
sempre em minha mente ficava a dúvida,
aquela dúvida que nao te deixa dormir,
aquele pensamento constante procurando sempre o quê e o para quê das coisas...
Até que descobri o ser...
que também não era ser, e que só era ser apartir de outro...
Sempre procurei algo...
Na poesia,
Na Literatura,
Na filosofia,
Nas escrituras...
Mas só encontrei perguntas, nunca respostas...
Ainda hoje, aos vinte e nove anos de existência, não existentes,
procuro algo...
tenho em mim que essa busca será eterna,
porque uma mente questionadora, curiosa e crítica;
sabe que não se sabe de nada,
e por mais que soubesse,
não se chega a lugar nenhum...

2 comentários:

Jussara disse...

A eterna busca pela felicidade, que descobrimos que não está no objetivo final mas no trajeto até ele...

Akira disse...

há controvérsias