sábado, 17 de janeiro de 2009

Querer - Pablo Neruda




Não te quero senão porque te quero
E de querer-te a não querer-te chego
E de esperar-te quando não te espero
Passa meu coração do frio ao fogo.
Te quero só porque a ti te quero,
Te odeio sem fim, e odiando-te rogo,
E a medida de meu amor viageiro
É não ver-te e amar-te como um cego.
Talvez consumirá a luz de janeiro
Seu raio cruel, meu coração inteiro,
Roubando-me a chave do sossego.
Nesta história só eu morro
E morrerei de amor porque te quero,
Porque te quero, amor, a sangue e a fogo.

...

Um comentário:

camila disse...

olá, primeiro gostaria muito de dizer que adorei o seu blog.
gosto muito de literatura, dos poemas das pequenas historias que esses autores contam. gosto do pablo neruda, clarisse lispector e mario quintana. gostaria de lhe sugerir que publicasse em seu blog, poesias de carlos drummond de andrade de que tambem adoro.