quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O Ceifador - Aline C. Costa


Eis que lhe aparece o Ceifador,
sua túnica preta, sua foice.
Não lhe é permitido gritar por socorro
só existe o seu ser e a morte,
ser este que se extinguirá em segundos,
quem serás tu?
O teu entendimento de si é o nada...
Não existe mais o eu,
não existe mais a essência da vida
todos morrem um dia,
Maldito sejas tu cobra venenosa que nos assola com a morte
porque tentar o homem?
Porque te satisfaz vê-lo rastejar perante a morte.
O que resta são apenas lembranças,
que em menos de 50 anos serás esquecida,
aí não existirás mais,
o resquício de sua vida será apagada
sua identidade,
suas manias,
seus desejos...
O que importará para seus bisnetos,
se gostavas de doces,
de ver jornal,
novela,
o que importará a instrução que não teves
ou seu saber sabido das coisas do mundo...
Não importas para ninguém...
Agora o que te resta é deliciar- te com o fim que se aproxima
e quem sabe viver uma nova vida, sem significado, sem significância
para ser novamente esquecido...
És apenas um número de CPF.

2 comentários:

Dulce disse...

Tão triste esse seu texto... Chega a ser angustiante. Mas muito verdadeiro.

Vim trazer-lhe meu abraço e desejar-lhe um bom dia.
bjs

MGomes disse...

Passei por aqui, gostei muito, e desejo-lhe um óptimo fim de semana!

Saudações do lado de cá... !!!