domingo, 6 de setembro de 2009

Meus afetos - Aline C. Costa


Você partiu como um pássaro que voa livre no céu azul
Não podiamos te prender mais
Seu espírito se elevou ao céu,
Mesmo que te chamássemos na terra.
Seu corpo estava bem,
Mas sua mente não estava mais conosco.
Foi ao encontro dos teus,
Deixou-nos com um vazio no peito inexplicável
A casa está vazia, seu quarto. Mas não te preocupes,
O vazio ainda está cheio de tua presença
A presença do meu pai
Aquele que me ensinou a assobiar
Que me acompanha no karaokê
Que dança comigo
Minha companhia de copo
Como posso explicar nossa ambigüidade.
Éramos tão diferentes e tão iguais.
Meu pai!!!
Você está vivo na minha mente e coração
Você está vivo nos teus filhos
Nos teus netos
Depois cairá no esquecimento
Quando for a minha hora
Suas lembranças também morrerão
Mas não importa
Você é especial
Importante.
Espero poder encontrá-lo um dia.
Poder te abraçar e dizer o quando te amo.

Um comentário:

Dulce disse...

Anine

Lamento profundamente ler este seu lindo e dolorido poema, poque significa que houve a perda de um ente muito querido, que há muita dor em seu coração... Lamento muito!...
Mas eu a abraço neste momento, minha amiga, pedindo a deus conforto para sua alma e paz para a alma dele, que hoje é rastro de luz que iluminará sempre seus caminhos.
Que ele descanse na paz de Deus.
Que você esteja bem, querida amiga.
Beijos

Dulce